terça-feira, 29 de setembro de 2009

A minha versão da história...


Eu tô é farta de contos de fadas. PeloamordeDeus.
Eu juro que se eu tiver uma filha, jamais vou deixar que contem uma história tão cabeluda desse tipo. Vou economizar anos de imcompreensão e a descrença que vai gerar no final.
Ah, se vou.

Até mesmo porque, essa descrença que toma conta do meu corpo é quase que cancerígena. Tomou conta de tudo.
Eu simplesmente num consigo mais acreditar em mais nada.
E sem fúria, o rap é outro. É de conformismo, acho.

O que teria acontecido se o Príncipe Encantado num tivesse aparecido pra Branca de Neve?
Ela ia ficar lá desmaiada no caixão de vidro? Ah, me economiza.
Eu acho que, uma hora ou outra, ela simplesmente teria levantado, cuspido a maçã, arrumado um emprego, um bom plano de saúde, um corte novo naquele cabelo e um bebê no banco de esperma. CERTEZA.
E quanto a maçã? Por um acaso alguém fez perícia na maçã?
De boas, quem envenenou, na minha modesta opinião, foi um ex-namorado. CERTEZA.
Eles sempre fazem isso.
Será que é sempre assim, também? Todo mundo precisa achar sua metade?
Ultimamente, eu tenho percebido, cada dia mais, que os homens existem pra complicar... não pra esclarecer, facilitar, ajudar. Por enquanto, os que têm aparecido na minha vida... Hahah.
Eeeeeiita, vida de gaado, isso sim.

É isso, pessoas. Não contem essas histórias cabeludas pras crianças. Pensa no tempo que as pobres meninas economizarão!
Eu sei. Hoje tô com um humor 'noiva-de-chuck' que tá foda. É a descrença, gente. Maldita descrença.


./semmais/.

1 comentários:

Asdrubal Cesar Russo disse...

Que show! Escreve muito bem!
Acho que poderá gostar de um dos meus blogs:
http://imutilidadepublica.blogspot.com
Abçs

3 de outubro de 2009 00:36

Postar um comentário

./comenta/comenta/comenta/.