domingo, 18 de outubro de 2009

O Lobo;

"é o lobo? é o lobo."


Nós, mulheres, sempre cercadas desses seres camuflados em uma roupagem de bom rapaz.
Eles analisam, sondam.
Eles fazem seu marketing pessoal. Se vendem como o produto que falta na sua prateleira.
Eles são bons jogadores desse jogo maldito.
Ele é bom... Ele é sedutor. Envolvente, com bom papo, e carinhos estratégicos.
Mas eles têm sempre um plano. Um nó traçado pro ponto.
São capazes de qualquer sujeira amorosa pra te deixar a mercê do bel prazer deles.
Eles querem que você sinta pena. "- Owwn, coitadinho."
Eles te jogam no chão e te dão a mão pra puxar pra cima. Sem perceber, você acaba refém.
Eles torturam.
Eles te prendem... investem em outra chapéuzinho, mas não querem perder o "plano B".
Eles dizem que amam. Que sente, que sofre... que querem mas não podem ter. Te deixando a espera do momento em que você vai poder preencher as expectativas dele.
Eles investem. Jogam a corda, puxam de volta. Sucessivamente.
Eles conseguem quase sempre.
Eles são vencedores desse sequestro emocional, em que o refém desse carcere está sempre disposto a se render. E a pagar por um resgate infundamental.
Ele rompe com suas entranhas afim de arrancar o mais fundo sentimento (da maneira mais suave) e levar com eles como autopreenchimento do vazio inesgotável do próprio interno.
Eles te deixam como companhia a descrença e a dor eterna de ter se rendido aos encantos inocentes.
Eles voltam. Sempre voltam.
Eles querem. Sempre querem.
Estão dispostos. Sempre dispostos.

Eles conseguem de novo? Comigo nunca mais.


Retrato de uma garota que se rendeu ao ataque de um lobo.
Ela sobreviveu? Sempre. Com a cara, a coragem, um olho pintado e seu colar de pérolas... ela ainda vai conquistar o mundo. Sempre com o colar de pérolas.



sem dia. sem hora. apenas a lembrança de ter escrevido (e vivido!).


0 comentários:

Postar um comentário

./comenta/comenta/comenta/.